Serviços O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

 

EaD: Fonoaudiologia Computacional

 

A proposta reúne estudantes de várias áreas da educação e saúde em especial de Fonoaudiologia com pesquisadores das áreas de Computação, criando soluções computacionais para promover o desenvolvimento das funções cognitivo-linguísticas. Neste contexto, serão apresentadas estratégias computacionais para criar aplicativos na forma de games inteligentes capazes de coletar e armazenar dados, para realizar avaliação e intervenção no âmbito da cognição e da linguagem criando sistemas autômatos de visualização de dados (gráficos), bem como, a sua interpretação (relatórios especializados). As ações que serão realizadas no âmbito da proposta são perpassadas pela indissociabilidade Ensino-Pesquisa-Extensão e contextualizadas na função social da UFRJ que é histórica no que concerne a formulação de políticas públicas na área da Ciência da Computação, na perspectiva da universalidade de acesso do público-alvo constituído de 960 (novecentos e sessenta) professores do ensino fundamental da rede pública de ensino, aos conhecimentos científico-tecnológicos, como elemento constitutivo imprescindível para produzir mudanças significativas na realidade do e estratégico para impulsionar processos geradores de inclusão social.

 

Mais informações

 

Meninas com Ciência: geologia, paleontologia e gênero no Museu Nacional

 

O Departamento de Geologia e Paleontologia (DGP) do Museu Nacional - UFRJ oferecerá a 5ª edição do curso de extensão 'Meninas com Ciência: Geologia, Paleontologia e Gênero no Museu Nacional'. Este curso teve início em 2017 e ganhou menção honrosa no 8º Premio Ibero-Americano de Educação em Museus. Serão 5 oficinas, ministradas em 4 sábados para 2 turmas (100 vagas): 06/04, 13/04, 27/04 e 04/05 que abordarão temas interessantes da Geologia, Paleontologia e a presença e importância das mulheres nestas áreas. As oficinas contarão com atividades lúdicas e educativas sobre reconhecimento de minerais, rochas, meteoritos, fósseis de plantas e animais. Este é um curso pensado e ministrado por pesquisadoras, técnicas e pós-graduandas do DGP para meninas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental (11 a 15 anos). Os objetivos são divulgar as pesquisas realizadas no Museu Nacional em Geologia e Paleontologia, incentivar a curiosidade e o pensar científico, além de demonstrar que Ciência no Brasil também é feita por mulheres comuns, que sonham e lutam pela vida que escolheram.

 

Mais informações

 

Superpython Resgate

 

A proposta reúne estudantes de várias áreas em especial de Fonoaudiologia com pesquisadores das áreas de Computação e Educação, criando soluções computacionais para promover o desenvolvimento  das funções cognitivo-linguísticas. Neste contexto, serão apresentadas estratégias computacionais e neuropedagógicas para desenvolver games inteligentes que são jogos baseados em princípios neurocientíficos, que viabilizam através da construção do pensamento computacional e da investigação científica um modelo único que possibilita o estudante a  ‘aprender a aprender’, criando dessa forma um canal para viabilizar a metacognição. Consequentemente impactando diretamente a  aprendizagem, já que o conteúdo não é imposto e sim construído com a turma. Esses jogos são capazes de coletar e armazenar dados, para realizar avaliação e intervenção no âmbito da cognição e da linguagem criando sistemas autômatos de visualização de dados (gráficos), bem como, a sua interpretação (relatórios especializados).  As ações que serão realizadas no âmbito da proposta são perpassadas pela indissociabilidade Ensino-Pesquisa- Extensão-Inclusão Social e contextualizadas na função social da UFRJ que é histórica no que concerne a formulação de políticas públicas na área da Ciência da Computação, na perspectiva da universalidade de acesso do público-alvo constituído de até 200 (duzentos) estudantes do ensino fundamental da rede pública de ensino, aos conhecimentos científico-tecnológicos, como elemento constitutivo imprescindível para produzir mudanças significativas na realidade do e estratégico para impulsionar processos geradores de inclusão social.

 

Mais informações

 

A psicologia da Gestalt em contexto filosófico

 

O curso é uma introdução à Psicologia da Gestalt direcionada a professores de Filosofia do Ensino Médio da Rede Pública. Academicamente, trata-se de uma introdução às principais teses da Psicologia da Gestalt na percepção, considerando-se, sobretudo, as relações com a história da filosofia anterior e posterior, a saber, respectivamente com a filosofia moderna e com autores que a discutem explicitamente, tais como Wittgenstein e Merleau-Ponty. Voltada a professores de Filosofia do Ensino Médio, a proposta busca complementar a formação de licenciados em filosofia, formação essa cujo caráter interdisciplinar é sabidamente subaproveitado, quando não integralmente ausente, em razão da atenção exclusiva, em cursos de graduação, ao estudo da história da filosofia. Com a exploração de parte da fronteira interdisciplinar entre Filosofia e Psicologia, objetiva-se contribuir para consolidação do espaço ocupado pela Filosofia no currículo do ensino médio, espaço colocado periodicamente em questão, sobretudo por reformas curriculares propostas verticalmente, isto é, sem a devida discussão da comunidade pedagógica.

 

Mais informações

 

Administração e Gestão Pública - uma nova perspectiva com a prática do PMBoK

 

Programa de Formação Continuada de Servidores Públicos:  Capacitar os servidores públicos de todas as esferas governamentais (municipal, estadual e federal) com noções básicas do conhecimento de administração e gestão pública, segundo as práticas do PMBOK.

 

Mais informações

 

Arte e Pertencimento

 

Pensando na relação arte e vida e nas condições cotidianas, muitas vezes não favoráveis ao desenvolvimento de processos criativos e à construção de uma relação afetiva para com a cidade, o curso 'Arte e Pertencimento' tem por propósito estimular uma aproximação sensível da linguagem artística  e sua relação com os jovens e seus entornos por meio de debates, leituras de textos e experimentações artísticas. Objetiva-se, com isso, intensificar o caráter de pertencimento e de responsabilidade para com os locais que ocupam e atuam, viabilizando uma inserção de forma democrática naquilo que é coletivo.

 

Mais informações

 

Bilinguismo Computacional: Lógica, Literatura e Línguistica Cognitiva

 

Adquirir as competências da cidadania universal é um dos desígnios mais importantes quando trata-se do aprendizado de uma língua estrangeira. Por conseguinte, o letramento em uma língua depende principalmente do entendimento das estruturas lógico-linguísticas de um texto. A tecnologia da informação é um catalisador desta assimilação e é por isto que este projeto propõem a aliança entre o bilinguismo e a computação. A junção entre as áreas permite que graduandos e profissionais de letras, especialistas em análise literária, trabalhem lado a lado com graduandos e profissionais da computação, especia listas em algoritmos e programação, com o propósito de criar um engenho computacional em formato de Game Inteligente que seja capaz de coletar e armazenar dados. Através destas informações, o software terá a capacidade de fazer o papel de um crítico literário e, além disso, será capaz de intervir de forma adaptativa e evolutiva na construção de um texto mais aprimorado por parte do estudante. A contribuição deste projeto não é somente um produto final, mas também o processo de interação entre os especialistas que terão a oportunidade de conhecer e experienciar novas áreas de estudo complementares a suas áreas de origem. 

 

Mais informações

 

Comunicação Cognitiva Computacional

 

A comunicação cognitiva computacional permite que pessoas e organizações possam utilizar ferramentas Pedagógicas Metacognitivas de comunicação social para desenvolver estratégias de EaD, viabilizando e organizando tanto a informação quanto os processos interativos. Essas ferramentas serão validadas por análises de diagramas lógico-matemáticos, gerando assim métricas lógico-matemático-cognitivas que podem melhorar o funcionamento de uma metodologia pedagógica baseada na Metacognição.  Esse cenário ganha ainda mais abrangência em uma sociedade, transmídiatica, hipercomunicativa e hiperconectada, onde a todo tempo nossas relações pessoais se tornam importantes sistemas complexos, tal como o binômio cérebro-mente é o um exemplo singular para este projeto. As ações que serão realizadas no âmbito da proposta são perpassadas pela indissociabilidade Ensino- Pesquisa-Extensão e contextualizadas na função social da UFRJ que é histórica no que concerne a formulação de políticas públicas na área da Ciência da Computação, na perspectiva da Universalidade de acesso do público-alvo constituído de 200 (duzentos) alunos de instituições de Ensino superior, aos conhecimentos científico-tecnológicos, como elemento constitutivo imprescindível para produzir mudanças significativas na realidade do e estratégico para impulsionar processos geradores de inclusão social.

 

Mais informações

 

Comunicação e Expressão

 

Este curso pretende desenvolver a capacidade do participante de se  expressar e se comunicar em espaços coletivos e situações cotidianas. O curso pretende desenvolver estas capacidades junto com o cursista aproveitando suas próprias características específicas de expressão. A ideia é que todos nós temos uma forma potencial de nos expressar e precisamos descobrir como nos sentir confortáveis com ela. São propostos exercícios de escrita, fala e apresentação coletiva e individuas para que o cursista encontro seus recursos individuas e coletivos de comunicação e expressão.

 

Mais informações

 

Conversas sobre Práticas na Formação de Professores - CONPAS 2019.1

 

O curso é pensado a partir da ideia de que o conhecimento pode ser construído através da troca e da interlocução. Desta forma o planejamento dos encontros é elaborado para que cada eixo temático tenha uma estreita relação entre a teoria e a prática, buscando um repensar de possibilidades de atuação em sala de aula, acreditando que através das trocas entre todos, alunos e professores, existe a possibilidade de se pensar novas práticas educativas. O curso será composto por 10 encontros em formato de Roda de Conversa, com professores do Colégio de Aplicação e convidados.

 

Mais informações

 

Curso de Aperfeiçoamento 'Toque... e se toque!' 2019

 

A proposta do Curso de Aperfeiçoamento Toque e Se Toque visa integrar o quadro de ações da UFRJ na área de formação continuada de professores da educação básica, desenvolvido nesses últimos anos pelo delineamento de políticas da Reitoria e Pró-Reitoria de Extensão da UFRJ. A sala de aula é um local para o entrelaçamento de significados, valores e experiências musicais. Entendemos a Música como parte da vida cotidiana e, como tal, deve ser vivenciada. Por isso priorizamos a Música Popular Brasileira como geradora do conhecimento musical necessário à boa formação de um músico, já que é essa música que preenche a vida cotidiana da maioria de nossos jovens aprendizes. No Projeto “Toque... e se toque!” pesquisamos a utilização da Canção Brasileira como recurso para conteúdos relacionados ao estudo sistemático do fenômeno musical e aprendizado técnico dos instrumentos canto, cavaquinho, flauta doce, percussão, violão e ukulelê. Aqui mesclamos as metodologias de ensino com base na Música Popular e Erudita, ou seja, questões do ensino formal do conhecimento da partitura, ditados, solfejos e teoria musical são trabalhadas a partir de canções do repertório popular, da forma em que o músico popular aprende - de modo informal. Compartilhar essa pesquisa com professores da rede da educação básica é o objetivo desse curso. Os procedimentos para o ensino da Música Popular Brasileira que, sem perder o viés do aprendizado informal, sistematizam os conteúdos necessários à boa formação de um músico.

 

Mais informações

 

Curso de Extensão Árabe instrumental I

 

Com encontros semanais a cada sexta-feira e com a duração de três aulas, o curso de Árabe Instrumental I tem o propósito de introduzir os alunos inscritos na habilidade de compreensão leitora de textos em língua árabe padrão escrita moderna. Para tal, promoverá as seguintes etapas que serão distribuídas ao longo dos meses, de  acordo com o desenvolvimento da turma:   I- Alfabetização e prática de leitura;  II - Aquisição de vocabulário, utilizando recursos visuais (jogos lúdicos, jogos mnemônicos, fashcards);  III- Morfologia (raiz e paradigma);  IV- Estudo das estruturas sintagmáticas (estruturas de genitivo e frases nominais);  V- Introdução à morfossintaxe árabe;  VI - Atividades práticas em corpus selecionado - leitura de títulos e pequenos trechos de textos de sites bilíngues. 

 

Mais informações

 

Curso de Extensão Árabe Instrumental II

 

O curso de árabe instrumental II visa a ensinar pontos fundamentais da estrutura da língua, e como aplicá-las na leitura e interpretação de um texto.  Com este objetivo, além da ênfase  na aquisição de vocabulário, serão abordados itens da língua como grupos nominais, tempo/aspecto verbais, verbos frasais, elementos formadores das palavras, grau dos adjetivos, sujeito + verbo + complemento, técnicas de scanning e skimming.

 

Mais informações

 

Curso de Formação em Extensão Universitária - Turma 4

 

O Curso de Formação em Extensão Universitária tem por objetivo proporcionar a atualização sobre extensão universitária, por meio de suporte teórico-metodológico para a gestão, execução e avaliação das ações de extensão nas instituições públicas de educação superior brasileiras. O público alvo abrange servidores de Instituições Públicas de Educação Superior (coordenadores de extensão dos Centros e Unidades, coordenadores de programas e projetos de extensão, técnicos administrativos que atuam na gestão e coordenação das ações de extensão). A primeira versão do curso ocorreu em 2015 e em 2016 ocorreram duas turmas.

 

Mais informações

 

Curso de Formação em Extensão Universitária EAD - Turma 2019

 

O Curso de Formação em Extensão Universitária tem por objetivo proporcionar a atualização sobre extensão universitária, por meio de suporte teórico-metodológico para a gestão, execução e avaliação das ações de extensão nas instituições públicas de educação superior brasileiras. O público alvo abrange servidores de Instituições Públicas de Educação Superior (coordenadores de extensão dos Centros e Unidades, coordenadores de programas e projetos de extensão, técnicos administrativos que atuam na gestão e coordenação das ações de extensão). A primeira versão do curso ocorreu em 2015 e em 2016 ocorreram duas turmas. Esta será a primeira edição no formato à distância.

 

Mais informações

 

Curso de iniciação em redução e prevenção de danos para saúde bucal de usuários de álcool e outras drogas

 

O projeto de curso se estrutura por inserir no contexto odontológico a dimensão de conhecimento teórico específico acerca de usuários de álcool e outras drogas. Além disso, acrescenta também a ciência sobre saúde mental, noções de cuidado, integralidade, e políticas publicas aplicadas à prática de atenção básica em saúde bucal associadas a promoção, prevenção e redução de danos de usuários de álcool e outras drogas, incluindo o diagnóstico diferencial. Dessa forma, o curso irá oferecer ao profissional uma visão interdisciplinar por meio de aulas expositivas. Cabe ressaltar que se trata de um curso com ausência de taxa de matrícula e isento de mensalidade, ou qualquer outro viés lucrativo, de acordo com as premissas extensionistas. Nesse sentido, a preposição inicial é informar graduandos e graduados atuantes em áreas da saúde para conhecimento e flexibilidade instantânea no modo de lidar com pacientes desse nicho específico, uma vez que esse conteúdo não é ministrado em faculdades, e, portanto, trata-se de um curso precursor. A inscrição do público alvo será simples e através de uma ficha de inscrição online, a fim de permitir o acesso para a comunidade externa e preenchimento de todas as vagas ofertadas.

 

Mais informações

 

Curso de Libras: processos linguístico-cognitivos em sinais (2019_1)

 

Este curso presencial possibilita um ambiente de aprendizagem da cultura surda, promovendo ensino e pesquisa da Libras, de português para alfabetização de surdos e de processos linguístico-cognitivos em sinais e palavras. Vocabulário e aspectos gramaticais da Libras (BRITO, 2010; CAPOVILLA et al, 2015; FARIA,2003,2006;  FELIPE;LIRA, 2005; FELIPE, 2007, 2013; PIZZIO et al, 2009; QUADROS;KARNOPP, 2004), teorias sobre Corporificação e Espaços Imagéticos (LAKOFF; JOHNSON, 1980; WILCOX, 2004; EVANS;GREEN, 2006; NUNES, 2014) e português para adultos surdos (SALLE et al, 2004; GALVÃO, 2007) são ministrados. Também são investigados nas turmas de Libras estudos relacionados à tradução-interpretação (MARTINS, 2010; SNELL-HORNBY, 2012; VENUTI, 1995). O curso tem duração de trinta horas para cada turma, sendo ministrado em encontros semanais, com duas horas de duração, às sextas-feiras pela manhã e/ou noite, na Rua Professor Carlos Wenceslau, 105, em Realengo/Rio de Janeiro, e aos sábados pela manhã na Rua Canal de Sarapuí 383, Lt 4 - Jardim Bangu/Rio de Janeiro. São oferecidas  vagas para a comunidade dessas localidades e adjacências.. Durante o curso, pesquisam-se estratégias de ensino da Libras e de português para surdos por meio de processos linguistico-cognitivos, a fim de verificar quais atividades propostas colaboraram para o processo de ensino-aprendizagem.

 

Mais informações

 

Curso de Química Orgânica e Métodos Físicos de Análises

 

O curso de Química Orgânica e Métodos Físicos de Análise atualiza o conhecimento das duas disciplinas fundamentais além de fornecer apoio teórico e prático para o ingresso na pós-graduação em Química de Produtos Naturais. Tem como público-alvo professores da rede pública de ensino e estudantes de diversas origens institucionais com formação em diferentes áreas básicas. Além das aulas teóricas e discussão de exercícios, durante o Café com Ciência, que abrange a apresentações de projetos de pesquisa e visitas guiadas a laboratórios do instituto, os participantes terão a oportunidade de se envolver na atmosfera da pesquisa de Química de Produtos Naturais.

 

Mais informações

 

Curso Educação Superior em Perspectiva: aspectos históricos e contemporâneos do sistema universitário federal brasileiro

 

O curso possibilita o aprofundamento das reflexões acerca da realidade contemporânea da educação superior, bem como dos desafios que se colocam para a universidade no século XXI, época em que as novas formas de produção e socialização do conhecimento, aliados à expansão, interiorização e democratização do acesso à educação superior, passam a exigir a reconfiguração de modelos e das múltiplas concepções sobre a instituição universitária. O curso propõe a atualização das discussões acerca do caráter público da educação superior brasileira, sobretudo no que se refere às formas de financiamento e gestão.

 

Mais informações

 

Ead: A Escola Metacognitiva Computacional

 

Este projeto propõe uma pesquisa-ação sobre a aplicação do paradigma da metacognição para a mudança cognitiva e modelação cognoscente do sujeito epistêmico em professores do ensino fundamental. A pesquisa se dará através de um curso de formação de professores do ensino fundamental EaD, considerando situações problemas que envolvam a aplicação integrada de concepções teóricas da metacognição com implicações pedagógicas aplicadas em sala de aula, com os estudantes de redes municipais de educação. Este curso se dará através de uma plataforma EaD inteligente,isto é,  com design metacognitivo e dotada de inteligência artificial. No exercício da construção do conhecimento sobre a Escola Metacognitiva, os professores serão levados a refletirem e elaborarem pesquisas sobre as relações entre conteúdos e metaprocessos, elaborando estratégias para povoar a plataforma de conexões entre informações pertinentes à várias áreas do conhecimento. Estas informações ganharão sentido e significado ao serem utilizadas no exercício da vida prática como: desastres ambientais, mobilidade urbana,  entre outros. Para isso os professores criarão as implicações pedagógicas para o desenvolvimento das novas metodologias da Escola Metacognitiva, que serão promovidas através de aulas levadas até as escolas das comunidades em que trabalham, aproximando assim o ambiente acadêmico universitário das pessoas que vivem em situação de risco social, assim como de professores de escolas conflagradas e a rede de ensino público em geral. A equipe executora deverá formar professores que estenderão benefícios diretamente aplicados aos seus estudantes e compartilhados com todos os professores matriculados na plataforma ACTIV, através de postagens de planejamentos, registros de atividades e relatórios.

 

Mais informações

 

Educação em TEA (transtorno do espectro autista) - Conceitos Básicos

 

Programa de Formação Continuada de Servidores Públicos -  capacitar servidores públicos, de todas as esferas, envolvidos no atendimento de indivíduos com diagnóstico do espectro do autismo. Fomentar reflexões e contribuir com a formação dos profissionais para que possam avaliar suas práticas educacionais e sejam capazes de aprimorá-las e adequá-las às necessidades individuais de seus estudantes. Considerando o aumento significativo de indivíduos diagnosticados com o transtorno do espectro do autismo (TEA), é fundamental, através da capacitação, instrumentalizar  esses servidores  sobre os diferentes níveis de autismo, suas características,  atendimento e práticas adequadas, a fim de promover a cidadania desses indivíduos, conforme visa as políticas educacionais de ensino. Sendo assim, a capacitação permitirá desenvolver habilidades e  ampliará o conhecimento desses servidores buscando contribuir no desenvolvimento desses indivíduos portadores do TEA, que apesar de apresentar conduta diferente, pela dificuldade em se comunicar e interagir socialmente, pode, e devem estar inseridos na sociedade.

 

Mais informações

 

Educação Financeira - Ênfase No Atendimento Ao Servidor Público

 

Em síntese, o curso propõe uma ação coordenada de diversos atores para orientação de servidores e funcionários públicos que enfrentam dificuldades na administração de suas finanças pessoais, instrumentalizando-os com conhecimentos necessários para a mudança de comportamento de forma a reduzir ou evitar situações de endividamento elevado. Para isso, o treinamento terá como foco principal, a formação em educação financeira dos servidores públicos, profissionais da área de Assistência Social, Psicologia, e demais servidores que atuam no setor de Recursos Humanos e Gestão de Pessoas), para que possam desempenhar melhor sua função no atendimento aos casos de endividamento do público atendido.     Com um conteúdo teórico e prático, abrangendo ações de informação, formação e orientação e com ênfase em planejamento financeiro, o curso capacitará o atendente do setor público a desenvolver as competências para orientar os atendidos numa mudança de atitudes e comportamentos que promovam padrões de consumo sustentáveis. A finalidade é que se reduza ou elimine o endividamento, estimulando, assim, a formação de reserva financeira adequada aos objetivos individuais e familiares. Busca-se, em síntese, habilitar o servidor em situação de endividamento a assumir o controle de sua vida financeira e, por meio de um protagonismo consciente e bem informado, promover a melhoria do bem-estar individual e familiar.

 

Mais informações

 

Ensino da escrita: da alfabetização ao curso superior

 

Esta proposta  busca reunir em um único curso um conjunto diversificado de ações de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas pelos integrantes do GRAFE. Tais ações cobrem a formação de professores e o ensino da escrita em um percurso que vai da alfabetização à escrita acadêmica, que costuma ser abordado de forma fragmentada.  O curso tem como um dos seus objetivos atualizar e ampliar conhecimentos sobre as teorias acadêmicas e as práticas docentes no que diz respeito ao ensino de escrita no percurso mencionado. A inovação fica por conta de outro objetivo: colocar em um mesmo espaço-tempo de discussão sujeitos que se formam com currículos muito distintos e que ouco dialogam no cotidiano, seja nas instituições de ensino, seja em encontros científicos.  A perspectiva de trazer para o diálogo alfabetizadores, professores dos dois ciclos do ensino fundamental, assim como os dos ensinos médio e superior, e licenciandos de Letras e de Pedagogia, visa a problematizar o domínio compartimentado que esses profissionais tendem a deter no que se refere aos processos de ensino e aprendizagem da escrita. Com a aproximação entre saberes e práticas que normalmente não dialogam, esperamos contribuir para que os sujeitos ampliem o alcance de suas percepções sobre a escrita e das suas práticas como professores. Os encontros promoverão desafios de articulação entre as atuais etapas que o ensino da escrita percorre no processo de escolarização. Cada etapa será problematizada por professores do GRAFE, sempre se respeitando o foco maior de suas ações de ensino, pesquisa e extensão.

 

Mais informações

 

Escrevivências: curso de escrita criativa para jovens e adultos

 

O curso pretende promover o estímulo à escrita criativa, entendo tal segmento como porta de entrada para o aprimoramento da escrita acadêmica. A escrita criativa promove a melhoria da leitura. Estima-se, ainda, que a escrita literária auxilia na promoção do autoconhecimento e de reflexão sobre suas vivências e como essas impactam as vidas de outras pessoas. Para tanto, pretendemos realizar quatro encontros, onde a escrita criativa será estimulada através dos seguintes temas geradores: infância, juventude, velhice e indivíduo. Tais temas podem ser compreendidos como importantes categorias sociológicas que, para nossos fins, serão utilizados como estímulos à captação e transformação das vivências dos participantes em textos literários. Com isso, estimamos que os participantes desenvolverão maior fluidez e criatividade na elaboração de trabalhos que demandem o uso do texto escrito.

 

Mais informações

 

EU, ESCRITOR... A arte de ler, pensar, refletir, saborear, produzir...

 

O curso de extensão “EU, ESCRITOR... - A arte de ler, pensar, refletir, saborear, produzir...” tem como principal interesse fazer com que a leitura e a escrita sejam percebidas por estudantes e professores da educação básica de forma inovadora e criativa em sala de aula, desenvolvendo práticas sociais e lúdicas para o ato de ler e escrever. O ponto de partida da proposta é a necessidade de desenvolver estratégias para desinibir os estudantes em relação à leitura e à escrita, familiarizando-os com as diferentes composições escritas, de modo a criarem prazer ao ler e ao escrever textos de diferentes tipos e gêneros.

 

Mais informações

 

Explorando as aprendizagens das Ciências Humanas e suas Tecnologias no ENEM

 

O fundamento do Curso de Extensão Universitária desta proposta é a formação continuada de docentes da rede básica de ensino, considerando o debate qualificado das proposições curriculares da área de Ciências Humanas e suas Tecnologias (CHT) no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Trata-se de um curso ocupado com as análises da legislação específica e dos itens da prova, considerando todas as edições a partir da sua reformulação em 2009 (Portaria INEP No. 109/2009) até o edital vigente. O objetivo central desta proposta é permitir a reflexão sobre os conteúdos eleitos pelo exame, considerando seus aspectos epistemológicos, ideológicos e pedagógicos. O referencial teórico privilegiado aborda as temáticas do currículo, da avaliação e da história das disciplinas escolares, destacando principalmente a reflexão sobre as questões contemporâneas da educação e da educação brasileira.

 

Mais informações

 

Fonoaudiologia Computacional

 

A proposta reúne estudantes de várias áreas em especial de Fonoaudiologia com pesquisadores das áreas de Computação, criando soluções computacionais para promover o desenvolvimento das funções cognitivo-linguísticas. Neste contexto, serão apresentadas estratégias computacionais para criar aplicativos na forma de games inteligentes capazes de coletar e armazenar dados, para realizar avaliação e intervenção no âmbito da cognição e da linguagem criando sistemas autômatos de visualização de dados (gráficos), bem como, a sua interpretação (relatórios especializados).  As ações que serão realizadas no âmbito da proposta são perpassadas pela indissociabilidade Ensino-Pesquisa-Extensão e contextualizadas na função social da UFRJ que é histórica no que concerne a formulação de políticas públicas na área da Ciência da Computação, na perspectiva da universalidade de acesso do público-alvo constituído de 200 (duzentos) professores do ensino fundamental da rede pública de ensino, aos conhecimentos científico-tecnológicos, como elemento constitutivo imprescindível para produzir mudanças significativas na realidade do e estratégico para impulsionar processos geradores de inclusão social.

 

Mais informações

 

Games Inteligentes: Ilustração, Design e Música

 

Os games inteligentes são elaborados segundo os aspectos metacognitivos inconscientes que devem serem desenvolvidos na criança. Funções cognitivas, linguagens-código, canais lingüísticos ÁUDIO-VISUAIS, processos-tarefa, níveis semióticos e número de elementos imagéticos e sonoros, farão parte do affordance dos games. Há uma grande diferença entre os jogos didáticos e os jogos metacognitivos, já que os últimos permitem que a criança dê um salto metaprocessual em que o game serve para a evolução da criança, embasado em um forte alicerce teórico.  Os games metacognitivos têm como objetivo o aprofundamento da pesquisa sobre a imagem e do som no processo de como o cérebro aprende, isto é, como a cognição humana funciona.

 

Mais informações

 

Gastando latim - Ensino de latim para crianças, jovens e adultos

 

Ensino da língua e cultura latina para crianças, jovens e adultos através de livros didáticos especializados para cada faixa etária.   As aulas são ministradas por alunos da graduação orientados pela coordenação do curso em reuniões periódicas nas quais serão privilegiadas a leitura de textos teóricos de diversas abordagens metodológicas de forma a destacar, comparativamente, o que cada uma delas apresenta de aspectos negativos e positivos, uma vez que que não há uma abordagem absolutamente perfeita; ao contrário, todas as abordagens são plenamente aplicáveis e adequadas para fins próprios. É importante destacar ainda dois aspectos fundamentais deste curso: o social, que oferece ao grande público a oportunidade de estudar uma língua clássica, e o pedagógico, que permite que alunos da graduação tenham o privilégio de estar numa sala de aula,  ensinando latim, antes mesmo de se formarem.   

 

Mais informações

 

Gênero e sexualidades na Educação Física e no Esporte

 

Faremos a fundamentação teórico-conceitual através de perspectivas analíticas de gênero, sexualidades e teoria Queer. Compreenderemos como as verdades sobre o masculino e o feminino, assim como a normalização da sexualidade dentro de uma matriz heteronormativa, estão presentes na Educação Física e no Esporte na forma como ela se instaurou na Modernidade.  Esse projeto tem como objetivo atualizar e ampliar conhecimentos, habilidades ou técnicas, revendo e/ou apresentando novas aquisições técnico-científicas ou culturais em qualquer área do conhecimento nas questões de gênero e sexualidades no universo da Educação Física e do Esporte.   Tal proposta se adensa na discussão, na análise e na colaboração com o processo de educação, formação e atualização de profissionais das mais diversas áreas de atuação que se interessam ou que lidam com questões relativas a Gênero, no seu dia-a-dia profissional.   A estratégia adotada para essa conquista é o oferecimento de aulas desenhadas para atender as especificidades do público-alvo no que diz respeito a realidade sócio-cultural e necessidades educacionais. Soma-se ainda a promoção de debates, palestras e oficinas que visibilizem a produção teórica e acadêmica das identidades trans e/ou sobre gênero, sexualidade, inclusão, reconhecimento, saúde e educação. Para tanto, o trabalho se concretizará por meio da combinação de atividades de pesquisa, ensino e extensão, por promover diálogos a partir da atuação integrada dos sujeitos envolvidos.   Em consequência, espera-se a produção de materiais acadêmicos e didáticos e metodologias de ensino que permitirão compartilhar com a comunidade os resultados e o processo de discussão.

 

Mais informações

 

Imagens Surdas: reflexões sobre letramentos de surdos

 

Este curso de extensão tem como foco estabelecer reflexões acerca dos letramentos surdos e de representações simbólicas a eles atrelados -presentes em manifestações estéticas - através de palestras e oficinas. Em uma perspectiva intersemiótica, promoverá o estudo de formas de letramentos visuais e multimodais, tendo como foco o sujeito surdo. Volta-se à comunidade surda e aos professores da rede pública e privada de ensino da cidade e do estado do Rio de Janeiro, assim como a discentes de licenciaturas. Espera-se, com tais atividades, o alcance de um número amplo de beneficiados, pois se tem como objetivo a formação de multiplicadores de ações voltadas à discussão acerca da cultura e dos letramentos dos surdos. Assim, as situações de inserção dos surdos em eventos e práticas de letramentos são incentivadas e ampliadas bem como  o seu acesso a manifestações estéticas, através da capacitação de seus docentes e futuros docentes. Tais ações são relevantes no âmbito acadêmico, pois permitem a intercessão entre o ensino e pesquisa, sobre representações estéticas e letramentos de surdos, e a sua práxis, e no social, porque dizem respeito a uma minoria, inclusive linguística, que demanda, com urgência, políticas de acessibilidade cultural. Espera-se, com o fomento de tais medidas, promover a reflexão sobre os letramentos surdos e a formação de consumidores estéticos surdos independentes e críticos, que sejam, em consequência, produtores artísticos, em um processo multiplicador de saberes.

 

Mais informações

 

IV Curso de Formação em Gênero, Diversidade Sexual e Direitos Humanos

 

Este curso está voltado para a formação de servidores públicas das três esferas governamentais. Busca promover discussões e reflexões sobre as temáticas gênero e diversidade sexual no âmbito dos direitos humanos.   Na modalidade de curso à distância, busca-se debater a complexidade das relações de gênero no âmbito da construção das identidades sexuais na contemporaneidade. Trata-se de discutir criticamente o sujeito moderno e seu engessamento na lógica binária entre masculino e feminino, homem e mulher. Acrescenta-se a isso novas reflexões sobre a perspectiva da luta democrática no âmbito da diversidade sexual em meio às análises do movimento feminista e na construção de políticas públicas para as mulheres e os identificados como LGBTs. O curso terá uma horária total de 120 horas.

 

Mais informações

 

Jovem Naturalista

 

O Curso Jovem Naturalista tem como público-alvo estudantes das redes pública e particular, meninas e meninos, com 10 a 13 anos completos em 2019. O curso será realizado em quatro sábados, das 10:00 às 17:00, com intervalo para almoço de 1 hora. Durante as 24 horas totais do curso, os discentes participarão de oficinas sobre peixes, anfíbios e répteis, aves e mamíferos.  Durante as oficinas, será possível conhecer quem são os vertebrados, obter informações sobre a fauna brasileira, além de ter contato com exemplares desses grupos animais. Serão abordadas, ainda, questões sobre como é feita a pesquisa em zoologia (disciplina que estuda os animais) e sobre o papel dos museus e centros de ciência para o ensino e pesquisa. Os participantes conhecerão coleções científicas de vertebrados e poderão ter noções básicas sobre gerenciamento de coleções. A partir das oficinas, espera-se despertar a curiosidade científica dos participantes sobre o mundo animal. Espera-se incentivar nos discentes o interesse pela ciência, com enfoque na história natural lembrando-os de que as perguntas ainda sem respostas são aquelas que nos movem para novas descobertas. Em um país megadiverso como o Brasil, com elevado número de espécies animais, espera-se ajudar na formação de cidadãos cientes da importância do meio ambiente para o bem estar social. Adicionalmente, espera-se despertar novos talentos e assim contribuir para a formação de futuras gerações de naturalistas.    A presente proposta de Curso de Extensão é indicada como integrante do Programa de Formação intitulado 'Programa de Educação Popular'.

 

Mais informações

 

JUNG e a Educação: sua importância para a compreensão do desenvolvimento humano e aprendizagem

 

Apresentar a Psicologia Analítica, de Carl Gustav Jung, e sua cosmovisão do desenvolvimento da psique humana, mostrando a importância de se conhecer os tipos psicológicos para uma melhor compreensão das relações interpessoais e do processo de aprendizagem, valendo-se da transdisciplinaridade como facilitadora para a religação entre os saberes.

 

Mais informações

 

Metodologia PDG (Processo Decisório em Grupos)

 

Tem como objetivo construir processos decisórios em grupos com efetividade de participação e resultados, sendo um Programa de Educação Popular.   Utilizando como inspiração o Programa Germinar (considerado Tecnologia Social pelo BB) que visa apoiar o desenvolvimento dos participantes para que atuem como facilitadores para a transformação e desenvolvimento social através da interação com indivíduos, grupos e organizações em territórios através do estímulo a diálogos saudáveis e eficazes. Desde 2003, já atendeu mais de 3.000 indivíduos em todas as regiões do Brasil.  Através da prática de aprender-fazendo considerando o conhecimento e a experiência dos participantes através do conceito da andragogia, que é a arte de orientar adultos a aprender (Malcolm Knowles, 1970) e da Pedagogia para a Liberdade de Paulo Freire, tendo como base a dialógica e a práxis.  Busca atender agentes comunitários, lideranças de iniciativas e movimentos sociais, empreendedores, militantes sem instrução formal, estudantes (graduação e pós graduação), professores, e indivíduos em fase de transição profissional/ pessoal que visam atuar com autonomia para a transformação social através dos processos de grupos e organizacionais em que estão inseridos.

 

Mais informações

 

O Prazer da Matemática na Educação Infantil e Anos Iniciais

 

Para os formados em pedagogia, não há cursos de formação continuada em Matemática. Este profissional que gostaria de aprofundar seus estudos não encontra no município do Rio de Janeiro essa possibilidade. Infelizmente as pesquisas em educação matemática referentes ao ensino para educação infantil e anos iniciais, dificilmente saem da academia e chegam às salas de aula. Pesquisas atuais mostram que há uma demanda enorme com relação à falta de formação continuada para professores da educação infantil e anos iniciais no que diz respeito ao ensino de matemática.  Esse curso será um 'ponta pé' inicial que tentará suprir uma pequena parte dessa demanda.    Este curso, de 4 encontros, mostra o importante papel do prazer ao se aprender Matemática. A origem do prazer vem do próprio processo de aprendizagem quando a mesma se torna significativa para o discente e/ou docente. Matemática não é decorar tabuadas, fórmulas e procedimentos. Ela é capaz de abrir novos horizontes para novas e surpreendentes possibilidades. Não é preciso de muitas tecnologias ou aparatos didáticos para um ensino de qualidade. O que é preciso, sim, é uma nova abordagem que leve a apreciar esta disciplina e sua docência, e consequente prazer de ensiná-la.    Nessas 16 horas serão abordados os seguintes temas: Educação Matemática Inclusiva, Números e Operações, Lógica, Geometria, Grandezas e Medidas, Probabilidade e Estatística, Álgebra e Funções. A metodologia será através de Artigos científicos, Jogos de estratégia, Matemágicas, Brincadeiras, Desafios, Vídeos da prática, Resolução de Problemas. Esta ação pretende se tornar Projeto de Extensão futuramente.

 

Mais informações

 

Oficina de escrita criativa

 

O presente curso está vinculado ao projeto de extensão Escrita Criativa em foco ( Edital RUA 2018-1) coordenado pelo docente Roberto Bezerra da Silva que desenvolve uma revista digital de escrita criativa por  alunos da Faculdade de Letras e da Escola de Belas Artes da UFRJ, destinada ao público geral. A partir das experiências deste projeto com as oficinas de escrita criativa em uma escola da rede pública de ensino, percebeu-se a necessidade de ampliação dessa ação a um público mais amplo por meio da oferta de  cursos de escrita criativa para o público universitário e geral. O curso terá seis encontros presenciais nos quais serão desenvolvidas   atividades  práticas de iniciação à escrita criativa, promovendo um espaço para a exploração de textos artísticos que expressem em  linguagem própria e original visões sobre temas contemporâneos.

 

Mais informações

 

Órgana: Francês e Alemão - cultura e língua

 

O curso “Órgana: Francês e Alemão - Cultura e Língua - Instrumental para Filosofia e Ciências Humanas e Sociais” constituiu-se a partir do desmembramento dos idiomas do curso “Órgana: línguas instrumentais para Filosofia” em propostas “por idioma”, cada uma com autonomia didática e administrativa, mas integradas a partir de objetivos e metodologia gerais comuns. Vinculado ao 'Programa de Educação Popular', o curso “Órgana” iniciou-se em 2015, respondendo à demanda interna e externa à universidade com relação ao ensino de línguas importantes para o estudo de filosofia e de ciências humanas e sociais. Seu objetivo principal é facilitar o estudo de idiomas a um público ampliado, integrando ações de alunos de graduação e pós-graduação a organizações da sociedade civil, a movimentos sociais e a instituições escolares públicas de 2o grau, visando a democratização do acesso não só à educação e às instituições acadêmicas, como também às ações e realizações de instituições sociais, políticas e culturais que exigem conhecimentos das línguas citadas para a devida integração e aproveitamento. O curso visa também a enfrentar a desigualdade no ingresso acadêmico causado por uma formação em línguas que não prepara adequadamente para as leituras de obras fundamentais de Filosofia e Ciências Humanas e Sociais . O curso de Francês e Alemão instrumental está organizado em quatro níveis iniciais (Básicos 01, 02, 03 e 04) e um grupo de leitura e tradução. Neste período (2019), abriremos turmas de francês (Básico 01 e 02); de alemão (Básico 01 e 02); grupos de estudo e de tradução.

 

Mais informações

 

Órgana: Inglês Instrumental para Filosofia, Ciências Humanas e Sociais

 

O curso está vinculado ao 'Programa de Educação Popular' e procura suprir uma demanda interna e externa à universidade com relação ao ensino de inglês.   A pesar de ser uma língua com uma alta oferta de cursos, os custos envolvidos no aprendizado do inglês e a forma em que ela é ensinada transformam-se em barreiras que reproduzem desigualdades sociais que se amplificam na hora de ter que interagir nos contextos de uso da língua (seja na sala de aula, em avaliações ou na interação com falantes da língua). Objetiva-se facilitar o estudo de inglês a um público ampliado, integrando ações de alunos de graduação e pós-graduação a organizações da sociedade civil, a movimentos sociais e a instituições escolares públicas de ensino médio, visando, por conseguinte, a democratização do acesso não só à educação e às instituições acadêmicas, como também às ações e realizações de instituições sociais, políticas e culturais que exigem conhecimento de inglês para a devida integração e aproveitamento de suas atividades.  A proposta do curso tem por base o estudo de inglês por meio de textos de conteúdo de ciências humanas (filosofia e ciências sociais), cuja leitura será intercalada com explicações de cunho gramatical, sempre acompanhadas de reflexões teóricas e históricas que transitam entre léxico e contexto pelo viés do próprio texto. A equipe é integrada por professores e alunos de graduação e pós-graduação das áreas de Filosofia, Letras, Sociologia e Antropologia.

 

Mais informações

 

Órgana: Yorubá – cultura e língua

 

O curso “Órgana: Yorubá - Cultura e Língua” constituiu-se a partir do desmembramento dos idiomas que integravam o curso “Órgana: línguas instrumentais para Filosofia” em propostas “por idioma”, cada uma delas com autonomia didática e administrativa, mas integradas a partir de objetivos e metodologia gerais comuns. Vinculado ao 'Programa de Educação Popular', o curso “Órgana” iniciou-se em 2015, respondendo à demanda interna e externa à universidade com relação ao ensino de línguas importantes para o estudo de filosofia e de ciências humanas e sociais. Seu objetivo principal é facilitar o estudo de idiomas a um público ampliado, integrando ações de alunos de graduação e pós-graduação a organizações da sociedade civil, movimentos sociais e instituições escolares de 2º grau, visando a democratização do acesso não só à educação e às instituições acadêmicas, como também às ações de instituições sociais, políticas e culturais que exigem conhecimentos das línguas citadas para a devida integração e aproveitamento. O curso visa também a enfrentar a desigualdade no ingresso acadêmico causado por uma formação em línguas que não prepara adequadamente para as leituras de obras fundamentais de Filosofia e Ciências Humanas e Sociais ou para fundos culturais de tradição oral que são objeto destas ciências.  O curso de Yorubá instrumental está organizado em dois níveis iniciais (Básico 01 e Básico 02).  No período 2019.1, não abriremos turmas. Em 2019.2 somente a turma do básico 2. 

 

Mais informações

 

Os (des)limites da composicionalidade semântica

 

O curso discute como e até que ponto a  composicionalidade (o cálculo do significado do todo a partir do significado de seus componentes e da forma como eles se articulam) pode ser aplicada ao significado de sintagmas e sentenças da nossa língua materna, usando a ferramentaria da semântica formal e da morfologia distribuída.  Assim, discute a adequação empírica e  o poder explanatório de teorias linguísticas em geral, e como aplicá-las  dados e fenômenos.  14/05/2019 - Abertura: aferição das noções de sintaxe e semântica dos participantes  21/05/2019 - A vertente teórica da Morfologia Distribuída  28/05/2019 - Composicionalidade e idiomaticidades nas leituras das palavras.  Pontos de incidência de idiomatização em palavras ambíguas,  04/06/2019- Formação de leituras idiomáticas: questões em aberto  Questões teóricas em aberto. Passos nas idiomatizações? Fronteira delimitadoras de incidência de idiomatizações? Diferenças entre línguas?  o previsível e o imprevisível do significado, língua portuguesa, morfologia distribuída, semântica formal,  composicionalidade.  11/06/2019 - Semântica formal das sentenças; A composicionalidade nas sentenças.Os instrumentos da  semântica formal para explicar cientificamente a capacidade humana de interpretar expressões da própria língua;   18/06/2019  - Quantificadores: estruturas sintáticas e leituras à distância.  25/06/2019 - Modificadores:  modificadores e operadores com escopo do português brasileiro.  02/07/2019 - Apanhado geral dos conteúdos - discussão dos problemas, soluções a aplicações vistos para o significado linguístico.

 

Mais informações

 

Pensando a escrita do Surdo: descrição, demandas e propostas pedagógicas (Módulo I)

 

O curso Pensando a escrita do Surdo: descrição, demandas e propostas pedagógicas tem por objetivo a discussão e o aprofundamento das questões relacionadas ao ensino do português escrito de surdos. Temos por principal objetivo possibilitar o aprofundamento dessa discussão a partir de  resultados de pesquisas e propostas pedagógicas específicas.  O curso foi elaborado pelos integrantes do Núcleo de Estudos sobre Interlíngua e Surdez (NEIS/UFRJ), docentes e discentes, em parceria com o IHA. O NEIS é um grupo de pesquisa, ligado à Faculdade de Letras da UFRJ e que tem por principal objetivo desenvolver pesquisas na área de aquisição de leitura e escrita em L2 do surdo. Desta forma, a partir das pesquisas desenvolvidas pelo grupo, o curso oferecido no IHA, a professores da rede municipal de ensino do RJ,  torna-se uma oportunidade muito importante de atividade extensionista, na medida em que fornece a diferentes campos sociais conhecimentos advindos da academia, assim como recebe desses grupos subsídios salutares para a continuidade da pesquisa e ensino universitários.

 

Mais informações

 

Pensando a história do Rio de Janeiro por meio dos processos judiciais:  enfoques & possibilidades (séculos XVIII e XIX)

 

A história do Rio de Janeiro e do judiciário fluminense remontam ao período colonial. Em 1751, foi criado o primeiro tribunal de justiça com sede na capitania do Rio de Janeiro. Ao longo dos séculos XVIII e XIX, a instituição passou por inúmeras transformações acompanhando o desenvolvimento social, político, econômico, cultural e urbano do Rio de Janeiro. Em janeiro de 2005, foi inaugurado no bairro de São Cristóvão, o  Arquivo Central do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro. Hoje, o arquivo é responsável por gerir uma grande massa documental e guarda, entre outros documentos, processos administrativos e judiciais de valor histórico, probante e informativo. As informações neles contidas servem para a garantia de direitos e como fonte de pesquisa.     O objetivo é apresentar e construir junto com os participantes um conhecimento diferenciado, proporcionando aprimoramento profissional e treinamento para o uso de fontes documentais sobre a história do Rio de Janeiro. O curso será presencial composto de dez encontros, mesclando sessões expositivas, atividades práticas de leitura e análise de documentos históricos. O público-alvo são discentes e docentes da rede pública interessados em aprender mais sobre a história do Rio de Janeiro e do seu tribunal de justiça, bem como investigar como essas histórias se conectaram em diversos momentos. Será uma atividade educativa diferenciada, interdisciplinar e cultural.  Os encontros irão ocorrer na UFRJ e no Arquivo Central do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, quintas-feiras das 14h às 17h.

 

Mais informações

 

Planejamento Estratégico Na Administração Pública

 

Num mundo em rápida transformação, nações e grandes empresas se empenham em perscrutar e planejar o seu futuro, para não serem apanhadas de surpresa por mudanças tecnológicas, econômicas, políticas e sociais que possam afetar seu desempenho. Estabelecem objetivos e metas de médio e longo prazo e tentam detectar e avaliar ameaças, obstáculos e desafios que possam vir a ter que enfrentar num determinado horizonte de tempo. Procuram, também, se preparar para aproveitar, da melhor maneira possível, as oportunidades que surgirão da evolução tecnológica, econômica, política e social. Trata-se de um exercício de reflexão sobre o futuro que assume, na maioria das vezes, a forma do que se convencionou chamar de Planejamento Estratégico. O Planejamento Estratégico é exercido em diversos tipos de economia e em diferentes nações. No Brasil, o Planejamento Estratégico é praticamente inexistente, sobretudo na administração pública.     Mas, não é apenas o impacto de inovações disruptivas que precisa ser monitorado e avaliado por governos nacionais ou subnacionais. O processo de globalização, a internacionalização dos mercados, sobretudo no domínio das finanças, e as ameaças à segurança em escala mundial criam instabilidade e incertezas cujos riscos e impactos precisam ser analisados e compreendidos pelos gestores públicos.     O Curso tem por objetivo demonstrar a importância do Planejamento Estratégico para governos e visa a habilitar os participantes a atuar de forma efetiva na elaboração e implantação do Planejamento Estratégico em administrações públicas (Estadual mas também nos níveis  Federal e Municipal  no Estado do Rio de Janeiro).

 

Mais informações

 

Produção de textos, pedagogia decolonial e conhecimentos educativos

 

O curso tem por objetivo resgatar, registrar e dar visibilidade aos conhecimentos, memórias e vivências  construídos no âmbito do trabalho docente/ educativo nas escolas, espaços comunitários, espaços não formais de Macaé e região, sobretudo, aqueles ligados à abordagem de temáticas sociocientíficas e ambientais. Sabemos que, no exercício da profissão, os professores constituem suas identidades profissionais e ao mesmo tempo desenvolvem articulações com a comunidade, parcerias com universidades, museus, centros de ciência e organizações não-governamentais e que, nestes contextos, constroem saberes e geram   que impactam as realidades educacionais e sociais locais. Entretanto, não há uma sistemática de comunicação dos registros e resultados de tais experiências junto à sociedade, o que reforça a imagem da educação pública como lugar de carência e insuficiência. Tampouco encontramos uma problematização acerca das relações entre escolas, universidades e espaços não formais e comunitários. Neste projeto, a partir dos estudos decoloniais, buscamos implementar práticas reflexivas por meio de literaturas afro-brasileiras que promovam o resgate e a valorização da memória e experiência docente, por meio de atividades de produção de texto. O modelo de produção de textos a que estamos nos afiliando diz respeito ao que Conceição Evaristo, célebre escritora brasileira, denomina de: Escrevivência. Escreviver significa escrever e viver, rememorar, visitar a memória e transitar no entrelugar, na memória e na eventicidade da escrita. Por meio das escrevivências produzidas pelos cursistas buscaremos valorizar suas identidades e suas reflexões acerca de seus papéis enquanto professores.

 

Mais informações

 

Projeto de Intervenção Profissional: fundamentos e elaboração

 

O Curso Projeto de Intervenção Profissional  funamentos e elaboração é uma ação no interior do Projeto de Extensão da ESS-UFRJ Assessoria via Extensão Universitária. Está destinado aos assistentes sociais e estudantes de serviço social. Contudo o curso é direcionado prioritariamente às (os) assistentes sociais do INSS e aos alunos estagiários desta instituição. O objetivo do Curso é oferecer orientações teórico-práticas acerca do significado e elaboração do Projeto Profissional do Serviço Social no interior de cada instituição por considerar que este promove visibilidade, afiançamento e fortalecimento da profissão, dando legitimidade institucional às ações empreendidas e executadas pela profissão. Será organizado em 9 encontros quinzenais divididos em dois blocos de atividades: 1°) apresentação de fundamentos teórico-metodológicos e elementos conjunturais que definem o Projeto de Intervenção Profissional na atualidade, 2°) estrutura e elaboração do Projeto de Intervenção considerando as particularidades de cada Instituição.  As categorias a serem trabalhadas no primeiro bloco (4 encontros) são: Cotidiano e imediaticidade; Prática Profissional; mediação; dimensão Ético-Político. No segundo bloco (5 encontros) se trabalhará os elementos constitutivos para elaboração do projeto de intervenção profissional.  A metodologia de trabalho é pensada através de exposição de conteúdos e elaboração prática do Projeto no formato de oficinas temáticas.

 

Mais informações

 

SuperPython - SupyGirls: Empoderamento em TI para Meninas

 

O projeto visa a valorização e o empoderamento da mulher na área tecnológica por meio de softwares livres e estratégias computacionais na criação de games e na superação de desafios de programação.  Contextualizado na relevante prática da UFRJ em aplicar políticas públicas que contribuam para a sociedade, estas alunas irão compor um importante quadro da produção de mudanças significativas dos processos geradores da inclusão social feminina por se tratar de um tema moderno e de abordagem  essencial para o mercado de trabalho.

 

Mais informações

 

SuperPython Mirim

 

Os profissionais envolvidos elaborarão modelos pedagógicos para uma educação própria para as necessidades de jovens com altas habilidades. As atividades usam como base a construção de jogos e outros trabalhos artísticos e linguísticos implicitamente conectados que tecelarão um mundo fictício da autoria dos estudantes. Neste contexto, serão apresentados desafios linguísticos, artísticos e computacionais que envolvam os indivíduos nos processos que concernem o seu relacionamento com o mundo, com os outros e consigo mesmo.  As ações que serão realizadas no âmbito da proposta são perpassadas pela indissociabilidade Ensino-Pesquisa-Extensão e contextualizadas na função social da UFRJ que é histórica no que concerne à formulação de políticas públicas na área da Educação, na perspectiva da universalidade de acesso do público-alvo constituído de 20 (vinte) alunos de do Ensino Fundamental, aos conhecimentos científico-tecnológicos, como elemento constitutivo imprescindível para produzir mudanças significativas na realidade do indivíduo que é estratégico para impulsionar processos geradores de inclusão social.

 

Mais informações

 

Superpython Supyperson

 

A proposta reúne estudantes do ensino fundamental e médio e pesquisadores das áreas de Computação, promovendo o desenvolvimento das funções cognitivas. Neste contexto, serão apresentadas estratégias computacionais para introdução desses alunos em lógica e linguagem de programação.  As ações que serão realizadas no âmbito da proposta são perpassadas pela indissociabilidade Ensino-Pesquisa-Extensão e contextualizadas na função social da UFRJ que é histórica no que concerne à formulação de políticas públicas na área da Ciência da Computação, na perspectiva da universalidade de acesso do público-alvo constituído de até 200 (duzentos) alunos do ensino fundamental e médio da rede pública de ensino e pesquisadores da área de computação, aos conhecimentos científico-tecnológicos, como elemento constitutivo imprescindível para produzir mudanças significativas na realidade do e estratégico para impulsionar processos geradores de inclusão social.

 

Mais informações

 

Tutoria em EaD: Reflexões e Práticas - 2019

 

O curso Tutoria em EaD: Reflexões e Práticas tem como objetivo capacitar servidores públicos para atuação como tutores a distância em ambientes virtuais de aprendizagem, proporcionando conhecimentos necessários à compreensão do processo de ensino-aprendizagem nessa modalidade de ensino e desenvolvendo habilidades e atitudes que possibilitem uma atuação de qualidade como tutor do ensino a distância. O desenho do curso possibilita um entendimento sobre: o cenário em que tem se dado as práticas de ensino a distância e as tecnologias geralmente utilizadas; concepções sobre tutoria em EaD e processos avaliativos; ferramentas técnico-pedagógicas e práticas de mediação em ambiente virtual de aprendizagem.

 

Mais informações

 

VI Curso de Capacitação de Mediadores para Atuação em Ambientes de Ensino Não Formal (2019)

 

Este curso objetiva oportunizar o aprendizado de conteúdos de ciências e matemática, bem como da dinâmica de atuação com o público em museus participativos de ciências, através da vivência de situações de ensino não-formal. Os participantes serão desafiados a desenvolver os conteúdos de forma interativa, explorando a interdisciplinaridade e o envolvimento ativo tanto de alunos e professores ou visitantes e mediadores de museus de ciências. Que a inquietude, a curiosidade e a busca por respostas façam parte do pensar e das atitudes de cada um. O Curso está previsto para ocorrer em dois módulos, nos quais os alunos poderão participar. O primeiro módulo conta com um total de 56 horas corridas, com aulas e oficinas de trabalho em fevereiro de 2019. O Segundo módulo conta com 64h de atividades oferecidas ao longo dos meses de março de 2019 a janeiro de 2020. O curso portanto, visa compartilhar as experiências dos ministrantes em ensino interativo com os professores em formação, alunos de graduação e pós-graduação e professores de ensino fundamental e médio.

 

Mais informações

 


 

 

 

 

Logo UFRJ faz 100 anos rodape ouvidoriarodape sigarodape sigpetrodape sigprojlogo forproex nacional novo

UFRJ | Graduação | Pós Graduação e Pesquisa | Planejamento, Desenvolvimento | Pessoal Gestão e Governança | Políticas Estudantis |Prefeitura

Praça Jorge Machado Moreira, s/nº, Cidade Universitária, Rio de Janeiro, RJ - CEP 21941-592

Tel. (21) 3938-0494 / (21) 3938-0617 - E-mail: gabinetepr5@pr5.ufrj.br

UFRJ PR5 - Pró-Reitoria de Extensão
Desenvolvido por: TIC/UFRJ